Planeta Água
Home Acima Água na Lua ! Alexandre Elias Alex Elias II Álvaro Cunha Cecy Hirano Edilberto Silva J o r n a i s Mar Doce Miguel Ignatios Miranda Neto Planeta Água Sergio Silva Zenóbio Alfano

 

 

" O talento é um dom...  O sucesso, uma conquista!"              
                          ( Sergio Silva )              

" PLANETA ÁGUA "
     (Condensado de texto original de Joelmir Beting)

Planeta Água
Guilherme Arantes
ÁGUA MAIS VALIOSA QUE PETRÓLEO"A água doce é um recurso renovável pela própria natureza. O tal de ciclo hidrológico... Renovável, sim; porém limitado.
A oferta de água já foi atropelada pela demanda em quase todo o mundo. O consumo, a poluição e o desperdício, fazem dela um recurso natural cada vez mais valioso, porque cada vez mais insuficiente".
Foi dessa maneira, em seu inconfundível estilo, que Joelmir Beting iniciou a sua crônica "Planeta Água", publicada em vários jornais do país, a propósito do "Dia Mundial da Água" transcorrido em 22 de março de 1998.
Joelmir Beting relata uma curiosa conversa que teve com o prefeito de Bagdá, Mahamed Dib, no Iraque em abril de 1981. Estavam observando as águas sujas do Rio Tigre, quando o prefeito disse:
"- Com a poderosa tecnologia do petróleo, já realizamos dezenas de perfurações aqui na área de Bagdá, em busca de águas profundas. Mas, infelizmente, só estamos achando mais petróleo".
Com o seu estilo irônico, Beting respondeu:  "- Que azar... não?".
Percebendo a ironia, o prefeito rechaçou:
"- Para nós, um barril de petróleo vale US$ 35 e deixa de lucro US$ 22... Mas estamos pagando US$ 110 a cada barril de água mineral que estamos importando da Bulgária. Ou seja, estamos perfurando para encontrar um recurso que nos custa US$ 110, mas continuamos a encontrar um outro que representa US$ 22 para nós, na troca com a Bulgária. Então, cada barril de água está nos custando o equivalente a cinco barris de petróleo! Não é um azar, mesmo?"

" DIA MUNDIAL DA ÁGUA "
     (Condensado de texto original de Joelmir Beting)

A Fonte Secou
Midi
Águas de Março

   NÃO ACEITE LEIGOS EM SUA CAIXA D'ÁGUA   Para marcar a passagem do Dia Mundial da Água em 22 de março, a ONU realizou em Paris uma conferência internacional com a participação de 114 países. No encerramento, o presidente francês, Jacques Chirac, lembrou que em dezenas de nações da África, do Oriente Médio e da Ásia Central, a água potável tornou-se uma riqueza mais cobiçada que o petróleo. A tal ponto, que conflitos pela água colocam, não é de hoje, mais de 60 países literalmente em pé de guerra.
Especialistas da ONU estimam em 1 bilhão e 400 milhões de quilômetros cúbicos o volume da água de superfície no planeta. Desse total, 97% está, sob forma de água salgada, nos mares e oceanos. O Brasil é dono de 8% do estoque mundial de água doce. E, provavelmente, titular de um terço do desperdício universal da ilustre mercadoria tratada e encanada.
Técnicos da Sabesp ligam o alerta vermelho: os quase dez milhões de paulistanos estão desperdiçando mais de 30% da água disponível.
A crise da água, em São Paulo, pode estourar em menos de cinco anos.
 

 

[Home]   -   [Rio Maguari]   -   ["Reflexões sobre a água..."]   -   [Trabalhos Colegiais]