Joelma Costa
Home Acima LIVRO 2006 AdrianeJackson Alyne Marchiori Ana Alcântara Ana Costa Ana Farias Bruna Corecha Bruno Oliveira ClaudionorSilva Jr Cristiane Lopes Débora Macedo Edvilson SilvaJr Felipe Carvalho FranciscaVieira Gabriela Rocha Giuliana Santos Gleidson Sousa Jeanny Karlla Joelma Costa José MªCosta Jr Juliana Silva Karine Corecha Kerollen Costa Laís Bibas Larissa Alves Liege Arruda Lorena Ramos Luísa Silva Naina Jardim OsmarcelinaCardoso Priscila Silva RaimundoVictor RamayanaPena Sálua Fayal Samuel Aquino ShirsellemCosta Vanessa Alves Waldecy Cunha Jr

 

 

I Concurso de Redação "Minha água, minha vida"

Realização HIGISERVICE-Y.YAMADA - Dia Mundial da Água 2006

JOELMA FLÓRENCE LOBO DA COSTA   
3ª Série do Ensino Médio   
Colégio Santa Rosa
   
Belém - PA 
  

MINHA ÁGUA, MINHA VIDA

 

Belém, 22 de março de 2006
Caro Homem,
            Eis-me, aqui, para expressar a minha tristeza perante a situação em que me encontro. Eu queria festejar o meu dia, entretanto não tenho motivos para comemorar. E tu, Homem, infelizmente, tens culpa.
            Estou doente, cada vez mais luto pela minha sobrevivência. Sei que não te importas comigo, somente visas à riqueza herdada do capitalismo. Talvez não sejas, realmente, o culpado, pois um grande filósofo disse: “O homem nasce bom, mas é a sociedade que o corrompe.”, lamentavelmente, tu foste corrompido.
            Agrides-me, quando lanças em mim substâncias tóxicas. Nunca te preocupaste com a torneira pingando dia e noite, pensar que inúmeras vezes tentei evitar o meu desperdício, fazendo barulho com as minhas gotinhas, a fim de te incomodar, porém a tua preguiça prevaleceu. Dormiste na aula que abordava a minha preservação. Jamais pensaste na tua geração e no quanto ela irá precisar de mim.
            Acusas-me como a causa de diversas doenças. És muito ignorante... porque, na verdade, isso ocorre principalmente quando tu me contaminas com o despejo de esgotos domésticos, industriais ou hospitalares. Além disso, outros seres vivos sofrem —peixes, plantas, etc.— originando o desequilíbrio ecológico e eu nada posso fazer, enquanto tu poderias impedir tudo isso.
            Necessitas de mim na tua alimentação, pois os alimentos irão dissolver, somente na minha presença. Lembras-te sou o solvente universal. Achas que o mais importante no teu organismo é o sangue?  Realmente pode ser, mas seu eu não estiver presente, não o terás, porque faço parte da composição do plasma. Sou uma espécie de veículo, o qual transporta e distribui as substâncias úteis para o teu organismo. Participo na eliminação das substâncias inúteis e prejudiciais através da urina. Quando transpiras, eu evaporo, dessa maneira contribuo para manter em bom nível a temperatura do teu corpo. Utilizas-me a todo o momento, como por exemplo, para cozinhar os alimentos, nos banhos diários e em outras práticas de higiene pessoal. Usas-me para navegar, ou seja, te auxilio na locomoção. Produzo energia elétrica, através da força das minhas quedas. Apesar de tudo isso, ainda persistes em prejudicar-me.
            Dessa forma que me conduzes, até quando suportarei tantos maltratos? Reflete um pouco sobre o grande valor que eu represento na tua vida e na vida de todos os seres deste planeta. Sugiro que ouças o meu clamor e dos órgãos competentes, cujo objetivo é tratar do meu bem-estar. Por favor, dá mais atenção ao que dizem a meu respeito, porque um dia posso faltar-te e, sem mim, será o fim da humanidade. Felizmente, ainda tens tempo para alterar os teus hábitos, no modo de consumir e preservar mais a minha existência perto de ti. Podes criar grandes mutirões de limpeza de rios e riachos, entre outros. Colabore para que os nossos governantes criem uma punição a quem me usa mal, tais como indústrias pesadas e poluidoras, o usuário que mesmo sem poluir-me, faz largo uso de mim, também deve ser punido. Por isso toma essa atitude, agora, e torna-te o meu parceiro.
                                                                 Atenciosamente,
                                                             Água
 

Joelma Flórence Lobo da Costa 
3ª série do Ensino Médio 
Colégio Santa Rosa / Belém - PA
  

[MÚSICA 'MOLHADA']  [OUTRAS REDAÇÕES-2006]