Samuel Aquino
Home Acima LIVRO 2006 AdrianeJackson Alyne Marchiori Ana Alcântara Ana Costa Ana Farias Bruna Corecha Bruno Oliveira ClaudionorSilva Jr Cristiane Lopes Débora Macedo Edvilson SilvaJr Felipe Carvalho FranciscaVieira Gabriela Rocha Giuliana Santos Gleidson Sousa Jeanny Karlla Joelma Costa José MªCosta Jr Juliana Silva Karine Corecha Kerollen Costa Laís Bibas Larissa Alves Liege Arruda Lorena Ramos Luísa Silva Naina Jardim OsmarcelinaCardoso Priscila Silva RaimundoVictor RamayanaPena Sálua Fayal Samuel Aquino ShirsellemCosta Vanessa Alves Waldecy Cunha Jr

 

 

I Concurso de Redação "Minha água, minha vida"

Realização HIGISERVICE-Y.YAMADA - Dia Mundial da Água 2006

SAMUEL VALADARES DE AQUINO
6ª série do Ensino Fundamental 
Escola Estadual Vereador Gonçalo Duarte / Belém - PA
 

 

PLANETA TERRA EM ALERTA

Neste terceiro milênio, uma das grandes ameaças que o planeta enfrenta é a escassez de água.

Durante muito tempo, acreditava-se que a água doce da Terra nunca acabaria. Porém, o desperdício, o aumento da população e a poluição, além de outros fatores, só tem agravado o problema da falta de água.

Do total de água existente, 97,3% correspondem aos oceanos e mares enquanto que 2,7% são formados por água doce. Esta é utilizada, principalmente, na agricultura, na indústria e no consumo domiciliar.

De acordo com pesquisas, os continentes mais carentes de água são a África, a Ásia e a América do Sul. Uma prova cabal disso, é a reutilização de água em alguns países da Ásia. A que ponto chegamos!

Sabe-se que a água é essencial para a sobrevivência de todos os seres: homem, animais e vegetais. No entanto, o desperdício é ainda constante. Vazamentos, torneiras mal fechadas, banhos demorados são uma mostra de que o homem trata a água como se fosse um recurso inesgotável. Deste modo, temos como conseqüência  do mau uso dos recursos hídricos: racionamentos, na medida em que vários bairros –aqui mesmo em nossa capital– ficam horas ou dias sem água para o consumo da população; a disseminação de doenças, tais como a dengue, pois com a falta de água, muitas pessoas tendem a usar recipientes para guardar este líquido precioso, o que acaba facilitando a reprodução do mosquito; e, por fim, a morte de peixes e plantas aquáticas quando são lançados produtos químicos nos rios. 

Em decorrência destes problemas, deve-se alertar e conscientizar a todos (através de programas, palestras e informações pela imprensa falada e escrita) que a água em um futuro não muito distante, poderá acabar –pelo menos a água potável– e, por conta disso, também morrerão as plantas, os animais e o próprio homem, responsável por sua degradação. Ademais, economias como a agricultura e a indústria, sofrerão graves crises, países entrarão em conflito e as gerações futuras não terão o privilégio de usufruir deste bem de tamanha importância para a vida. As gerações futuras poderão, sequer, existir. 

 

Samuel Valadares de Aquino 
6ª série do Ensino Fundamental 
Escola Estadual Vereador Gonçalo Duarte / Belém - PA

 

[MÚSICA 'MOLHADA']  [OUTRAS REDAÇÕES-2006]