Agosto 1999
Home Acima Dezembro 1998 Janeiro 1999 Fevereiro 1999 Março 1999 Abril 1999 Maio 1999 Junho 1999 Julho 1999 Agosto 1999 Setembro 1999 Outubro 1999 Novembro 1999 Dezembro 1999 Janeiro 2000 Fevereiro 2000 Março 2000 Abril 2000 Maio 2000 Junho 2000 Julho 2000

 

REFLEXÕES  SOBRE  A  ÁGUA...
Tudo o que você precisa saber sobre a água, agora também na Internet: sergiosilva@higiservice.com.br

== ANO X == Nº. 109 ===== AGOSTO / 1999 ==== Colaboração Sergio Silva ======

ÁGUA TORNA-SE NEGÓCIO ATRATIVO: ESTÃO DE OLHO NAS PRIVATIZAÇÕES 

“Depois do ouro, automóveis e cerveja, agora água é o mais novo negócio do empresário Eike Batista - chairman e chief executive officer (CEO) da mineradora canadense de ouro TVX Gold, com operações no Canadá, Chile e Brasil - está entrando no setor de água subterrânea e quer participar das privatizações da área de saneamento.” 

Essa notícia, publicada pelo Boletim Informativo da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas, Abas Informa, 90, foi extraída da Gazeta Mercantil de 04/05/99 por Daniela Caride do Rio, e informa também que a aposta nesse setor é baseada em projeções do IPEA - Instituto de Pesquisas Econômicas e Aplicadas, que indicam déficit de investimentos no Brasil de US$ 2,7 bilhões anuais nos próximos 15 anos, no setor. 

A nota afirma que o empresário usa o modelo de compra de empresas, para depois transformá-las em companhias de risco. A estratégia começou com a aquisição de 90% da perfuradora de poços artesianos (sic) profundos Geoplan, que também será tratadora de águas e esgotos; e com a opção de compra de outros 90% da empresa paulista Água Certa.  

Batista tem planos de comprar pelo menos três perfuradoras e ficar com uma fatia superior a 65% no mercado de perfuração de poços.  A expectativa de crescimento do mercado de águas subterrâneas no Brasil é de 50% ao ano, segundo o empresário. A Geoplan faturou US$ 11 milhões. Humberto Albuquerque, vice-presidente da ABAS e chefe da divisão de hidrogeologia e exploração da CPRM, concorda com as projeções, dizendo que esse mercado está em franca expansão. Mas não há dados oficiais quanto a esse crescimento, pois não existe um órgão nacional para monitorar essa atividade e nem uma lei federal que obrigue o registro dos poços perfurados.

A estratégia de Eike Batista pretende formar consórcios com grupos estrangeiros para disputar e arrematar empresas de saneamento de pequeno e médio porte nos leilões. A CEDAE do Rio de Janeiro estaria fora de seus planos por ser muito grande, e, segundo afirmou, o seu interesse será maior por empresas que sejam municipalizadas antes da privatização.  

O Brasil detém 12% das reservas mundiais de água doce, segundo dados da Secretaria de Recursos Hídricos e Amazônia Legal, mas, a distribuição dessa água é desigual: a Bacia Amazônica, onde se concentra apenas 5% da população brasileira, detém 80% da água doce disponível no Brasil; enquanto os 33% representados pela população nordestina dispõe de apenas 4% dos recursos hídricos, de acordo com os dados da Secretaria.  Todavia, sabe-se que existe um verdadeiro mar de água doce subterrânea, superior em quatro vezes a Baía de Guanabara, só no Piauí...  Suficiente para afogar a “Indústria da Seca”!

ÁGUA SUBTERRÂNEA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA AMAZÔNIA 
Prometendo dar respostas ao tema, a ABAS estará realizando em Belém, de 14 a 17 de setembro vindouro, o XI Encontro Nacional de Perfuradores de Poços, no Centro de Convenções do Hotel Hilton-Belém, onde serão formalizadas as inscrições dos participantes a partir das 14 horas do dia inaugural do encontro. As solenidades de abertura oficial acontecerão no Teatro da Paz, na noite do dia 14.  
Dentre as várias conferências e mesas redondas, que contarão com a participação de expositores de diversos estados brasileiros, destacamos a participação de Wilson de Oliveira, diretor da Petem, como co-expositor do tema Qualidade de Poços: Normas Técnicas de Construção.  
Este tema é considerado por Sergio Silva Junior, diretor da Higiservice Saneamento, de particular importância. “Vem de encontro a uma triste realidade do nosso cotidiano profissional”, diz ele. “A Higiservice tradicionalmente desaconselha a utilização de água de poços na área urbana servida pela rede pública, principalmente porque, na intenção de economizar, os usuários fazem opção por perfuradores não habilitados, ou que não aplicam as normas técnicas de construção, e cujos poços produzem água inadequada ao consumo humano”.  
Os resultados dessa prática desastrosa são os incontáveis poços tubulares abandonados em Belém, ou fornecendo água de péssima qualidade aos seus consumidores. Em muitos casos, servindo de veículo de contaminação dos aqüíferos subterrâneos, por falta de vedação sanitária adequada.  
Já está comprovado que ”o barato, sai caro”, mas o consumidor continua sendo ludibriado. Espera-se, portanto, que esse evento, mais do que aprimorar o setor, consiga também sensibilizar as autoridades legislativas e sanitárias, no sentido de criar mecanismos que possam impedir a ação de perfuradores não habilitados ou inescrupulosos.

        C O N T A - G O T A S       

Já existe uma solução prática e eficiente para tratar água de poços que contenham teores indesejáveis de ferro, que dispensa o uso de aeradores ou filtros!

Se a água do seu poço está amarelada, e nada conseguiu resolver esse problema, não desista. Chame a Higiservice.

Conheça o novo sistema complexante, que elimina os efeitos negativos do excesso de ferro na água de poços.

===================

“Muitos teriam chegado à sabedoria, se não acreditassem que já eram suficientemente sábios”.

(Juan Luiz Vives  1492-1540 - filósofo espanhol)

                              [ ÍNDICE ]                                 Até breve!                     
Sergio Silva