Março 2000
Home Acima Dezembro 1998 Janeiro 1999 Fevereiro 1999 Março 1999 Abril 1999 Maio 1999 Junho 1999 Julho 1999 Agosto 1999 Setembro 1999 Outubro 1999 Novembro 1999 Dezembro 1999 Janeiro 2000 Fevereiro 2000 Março 2000 Abril 2000 Maio 2000 Junho 2000 Julho 2000

 

REFLEXÕES  SOBRE  A  ÁGUA...
Tudo o que você precisa saber sobre a água, agora também na Internet: sergiosilva@higiservice.com.br

==ANO X== Nº. 116 ===== MARÇO / 2000 ==== Colaboração Sergio Silva ===========

PLANETA TERRA ESTÁ FICANDO SEM ÁGUA 
A imprensa mundial começou a bater com insistência na situação de escassez mundial de água dando conta de que trinta por cento da população mundial vai sofrer  com a falta d’água até o ano de 2050, ampliando o número de quase um bilhão de pessoas que já está sofrendo com esse problema, segundo dados do Programa Ambiente da ONU. 
No século XXI, a água será um produto tão importante quanto o petróleo ou a tecnologia. Como 60% de toda água doce utilizável do mundo está concentrada em apenas dez países, entre eles o Brasil, as análises da ONU são de que a falta da água poderá causar sérios conflitos internacionais. A questão deixou o círculo restrito da comunidade científica e já causa polvorosa entre os que não têm grande quantidade de recursos hídricos. 
Como efeito, ressurgem as pressões internacionais como a do estabelecimento da “soberania relativa” da Amazônia, defendida pelo presidente norte-americano Bill Clinton e pelo primeiro ministro britânico, John Major. Numa reportagem publicada há dois anos, a revista “Science” declarou ser ‘uma injustiça’  que um quinto da água potável do mundo ‘esteja nos países amazônicos’. Na rede de televisão norte-americana CNN, é veiculado um comercial com uma mensagem de reprovação ao desperdício da água doce do mundo, sugerindo o tratamento da água como bem internacional. O vice-presidente geral da ONU, Hans van Ginkel, declarou que os conflitos civis e internacionais podem se tornar um fator chave no panorama mundial do século XXI. Países que não têm mais recursos naturais podem acabar se ‘apropriando’ dá água de outros países a partir de recursos políticos, ou mesmo da força. 
A
falta de água causa conflitos em Uganda, onde os poços são defendidos com lanças pelas tribos. Israel e a Jordânia também já têm divergências por conta da água. Uma situação que deve se expandir pelo Oriente Médio. Pesquisas do Instituto Internacional de Administração de Recursos Hídricos, no Sri Lanka, indicam absoluta escassez de água em 17 países da região e ainda do Sul da África e regiões mais secas do Oeste e Sul da Índia e Norte da China. 
Outros 24 países devem sofrer de extrema escassez de água, principalmente na África sub-saariana. Nesses países onde a água começa a ficar escassa, são impostas medidas rigorosas de utilização e as taxas são bastante altas. No Iraque negocia-se água por petróleo. 
O Egito, que teve a sua população duplicada em 40 anos e tem um nível de crescimento de 800 mil pessoas ao ano, faz grandes campanhas contra o desperdício e para tentar levar a população para as áreas interiores, com programas de otimização das áreas mais secas. Cerca 95% da população do país está às margens do Nilo. 
Essa matéria foi publicada pelo “O Liberal” num dia de pouca leitura: 26/12/99. Há 10 anos éramos “alarmistas”, quando dizíamos que haveriam guerras por falta d’água...

BRASIL TENTA CRIAR A VACINA CONTRA BARRIGA D’ÁGUA  
O
Brasil saiu na frente na corrida pela produção de uma vacina contra a esquistossomose e deve testá-la ainda neste ano em seres humanos. A doença, também conhecida como barriga d’água, atinge cerca de 8 milhões de pessoas no Brasil e 200 milhões no mundo. Se não for tratada, a doença pode matar. 
A Organização Mundial da Saúde aprovou recentemente quatro tipos de moléculas de proteínas do verme Schistosoma mansoni (causador da doença), que foram isoladas em diferentes partes do mundo e estão em estudo para serem utilizadas como vacina. Uma delas, isolada pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), ligada ao governo federal, é a que está em estágio mais avançado. (Priscila Lambert / Folha SP-29-2-2000)

OCEANOS PODEM AMENIZAR A POLUIÇÃO DO AR!
O oceano pode absorver cerca de 40% do dióxido de carbono (CO2) do ar, e assim atenuar a poluição atmosférica global. Provar essa hipótese é o objetivo da pesquisa da professora Rosane Gonçalves Ito, do Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (USP), que desenvolve um projeto de estudo da dissolução do gás carbônico na água do mar. Ainda não se sabe quanto dióxido de carbono (ou gás carbônico) o oceano é capaz de absorver, mas entre a quantidade estimada do gás na atmosfera e a medida há uma diferença que sugere a absorção do gás pelos reservatórios naturais, como as florestas e os oceanos. (Fonte: Ambiente Global)

        C O N T A - G O T A S         

Segundo relatórios da ONU de 1993, para cada mil litros de água utilizada pelo homem, resultam 10 mil litros de água poluída

Uma torneira gotejando chega a desperdiçar 46 litros de água por dia, o que significa 1380 litros por mês ou mais de um metro cúbico de água e, claro, uma tarifa mais cara 

Um buraco de dois milímetros no encanamento pode causar um desperdício de 3.200 litros por dia, ou seja, mais de três caixas d’água. 

Apenas 8% do consumo de água é doméstico. Desse consumo nas residências, 75% está nos banheiros. Mais de 90% dos esgotos domésticos e 70% dos efluentes industriais não-tratados são lançados em corpos d’água.  

===========

"Não importa o que tiraram de você, o que importa é o que você vai fazer com o que sobrou..."

( Citado por Oigres Roberto Baruch Silva 
 Diretor da Gerencial Seguros )

                              [ ÍNDICE ]                                 Até breve!                     
Sergio Silva