Maio 2000
Home Acima Dezembro 1998 Janeiro 1999 Fevereiro 1999 Março 1999 Abril 1999 Maio 1999 Junho 1999 Julho 1999 Agosto 1999 Setembro 1999 Outubro 1999 Novembro 1999 Dezembro 1999 Janeiro 2000 Fevereiro 2000 Março 2000 Abril 2000 Maio 2000 Junho 2000 Julho 2000

 

REFLEXÕES  SOBRE  A  ÁGUA...
Tudo o que você precisa saber sobre a água, agora também na Internet: sergiosilva@higiservice.com.br

==ANO X== Nº. 118 ===== MAIO / 2000 ==== Colaboração Sergio Silva ===========

ÁGUA  COM CHEIRO  DE GASOLINA  EM  POÇOS NO BAIRRO DE NAZARÉ

A Promotoria do Meio Ambiente está outra vez com um antigo problema na pauta dos assuntos que exigem providências urgentes e investigação especializada. O cheiro de gasolina na água de poços de condomínios no bairro de Nazaré está de volta. Dois grandes condomínios daquele bairro já reclamaram da água dos seus poços.
Em 1994 a Dra. Maria da Graça Azevedo da Silva, Promotora de Justiça do Meio Ambiente, instaurou um Inquérito Civil e comprovou a presença de derivados de petróleo em poços cuja água era utilizada para consumo humano, no bairro de Nazaré. As investigações realizadas com o auxílio dos técnicos da SECTAM, não conseguiram determinar qual foi a origem dos poluentes, presumindo-se que teria ocorrido vazamento em tanque de combustível, supostamente de algum posto de gasolina, em local incerto e não sabido. A dinâmica dos aqüíferos subterrâneos exigia muitos exames laboratoriais para que os competentes técnicos da Sectam pudessem localizar a origem dos poluentes. Mas, como geralmente acontece, os recursos disponíveis eram poucos e não foram suficientes.
No dia 22 de dezembro de 1994 a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente – SECTAM enviara um ofício ao signatário desta coluna, comunicando que os últimos exames de cromatografia gasosa, feitos pela CETESB em São Paulo, relativos aos parâmetros Benzeno, Tolueno e Xileno, de amostras coletadas nos poços atingidos, resultaram dentro do padrão de potabilidade. Com isso o inquérito estava praticamente encerrado, sem que fosse localizado o causador da agressão à natureza.
Curiosamente, nesse mesmo dia 22/12/94 era publicada no Diário Oficial do Estado do Pará, a Lei nº. 5.882, que instituiu a obrigatoriedade da higienização e desinfecção dos reservatórios prediais de água destinada ao consumo humano, a conceituação desses reservatórios quanto ao seu uso; a definição dos responsáveis pela sua manutenção e outras providências. Ainda quando estava na fase de projeto, essa lei recebeu parecer técnico altamente favorável dos engenheiros Luiz Otávio Mota Pereira e Miguel Elias que exerciam, na época, respectivamente a presidência nacional e regional da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES).
Outras personalidades de reconhecida competência no sanitarismo brasileiro elogiaram a lucidez do legislativo, ao dotar o Pará de um diploma legal que foi considerado exemplar para todo Brasil. Inclusive porque impedia aos “profissionais da água” que tivessem contato com substâncias contaminadas ou poluentes; apesar de que algumas empresas dedetizadoras (que trabalham com venenos) continuam anunciando publicamente que também trabalham com água, exercendo simultaneamente as duas atividades, a despeito do perigo que isso representa.
Com a palavra o Ministério Público.

ACELERA-SE O AQUECIMENTO DOS OCEANOS

Cientistas garantem que as águas dos oceanos estão se aquecendo num ritmo que acabará trazendo problemas graves, caso não se altere nas próximas décadas. Um estudo do Instituto Godard da Nasa, publicado na revista Science, garante que o aquecimento aumentou em cinco vezes. Para cada décimo de grau de aquecimento, no início dos anos 50, temos cinco décimos atualmente. Isso parece ter silenciado muitos especialistas que consideravam exagerados os cálculos elaborados por softwares de computadores, sobre o aquecimento global. 
O estudo é resultado de um trabalho de sete anos, do pesquisador Sidney Levitus e sua equipe, comparando mais de cinco milhões de registros tomados de 1948 a 1996 de temperaturas dos oceanos Atlântico, Índico e Pacífico. A faixa que mais esquentou, segundo esses registros, está entre a superfície e 300 ou 400 metros de profundidade. Abaixo dessa profundidade a alteração é menor, levando a crer que as hipóteses sobre o efeito estufa poderão ser confirmadas. De acordo com os pesquisadores, o fenômeno El Niño, que tem provocado aquecimento em várias regiões do planeta, não tem qualquer ligação com esse aquecimento dos oceanos, que é uma tendência de 35 anos enquanto o El Niño ocorre entre dois e sete anos.

Daqui por diante, não se pode mais discutir aquecimento global sem discutir os oceanos”, diz Levitus.

        C O N T A - G O T A S         

Um enorme iceberg, de 295 km de comprimento por 37 km de largura, desprendeu-se da camada polar da Antártida, e está flutuando no Mar de Ross, ao sul da Nova Zelândia. Uma foto, tirada por satélite, dá uma idéia de seu tamanho: totaliza uma superfície de 11 mil km quadrados, equivalente à metade do estado de Sergipe. Os cientistas garantem que o desprendimento do bloco de gelo é um processo natural, e não tem nenhuma relação com o aquecimento global das águas oceânicas. O imenso bloco de gelo vai fazer falta ao continente gelado: embora a Antártida seja muito fria, praticamente não chove por lá. Em razão disso, os cientistas calculam que o continente levará um século para recuperar o volume de gelo perdido no novo iceberg. 

Um fóssil, desenterrado recentemente na Estônia, pode ser o elo que indica como nossos ancestrais deixaram o ambiente aquático, nos primórdios do planeta, para viver em terra firme.  Uma equipe do Museu de História Natural de Londres descobriu, em rochas de 370 milhões de anos, dois fragmentos do osso maxilar inferior de uma estranha criatura, que apresenta características comuns aos peixes e aos animais terrestres. 

 

"O contribuinte é o único cidadão que trabalha para o governo, sem ter de prestar concurso." (Ronald Reagan)

                              [ ÍNDICE ]                                 Até breve!                     
Sergio Silva