CASO RT-002 - RESIDÊNCIA CLASSE "A", NO BAIRRO BATISTA CAMPOS - BELÉM-PARÁ

VOLTAR
 

Durante a vistoria realizada nas instalações de água fria da residência,  nossa equipe técnica encontrou os reservatórios superiores inadequadamente fechados, estando uma das tampas deslocada e a outra apoiada sobre um calço que fora utilizado para a fixação do cabo elétrico da bóia de nível superior.
 Tal recurso, destinado a limitar o curso da bóia, popularmente conhecido por “gambiarra”, pode ter sido adotado por pessoa leiga e/ou desprovida de habilitação técnica para lidar com instalações prediais de água fria, destinada ao consumo humano.
Como conseqüência, a tampa do reservatório permanecia constantemente aberta, permitindo a penetração de poeira e insetos —que dificilmente são percebidos— e, finalmente, do perigoso roedor que foi encontrado em estado de putrefação, no fundo do reservatório.
Pedaço de cano colocado sob a tampa, mantendo-a aberta, usado de modo absolutamente inadequado, como autêntica "GAMBIARRA", a fim de pendurar a fiação da bóia elétrica de nível superior, que liga e desliga automaticamente a bomba d' água;
Tal situação permitia a penetração de poeira, insetos -inclusive o "aedis aegypt"- e outros agentes patogênicos dificilmente perceptíveis ao olfato e paladar dos consumidores;
Entretanto, o rato em adiantado estado de putrefação alterou de forma perceptível as características organolépticas da água.

VOLTAR

 

 

 

 

 

 

 

Contador de acesso